Páginas

8 de set de 2013

Desabafo e reflexões da semana que passou...

Esta semana, tive um pequeno incidente que me magoou muito na hora, muito. Chorei e tals, mas depois, vi que não era minha culpa. 
Uma pessoa por quem eu tinha consideração no trabalho, ao almoçar no mesmo horário que eu, me deixou falando sozinha na copa. Gente, eu fiquei passada...Era como se eu não estivesse ali! 

Há algum tempo, ela deixou de responder aos meus "bom dias". E eu parei, por achar que a pessoa estava ocupada e outras vezes por imaginar que eu tinha feito algo ou falado qualquer besteira que a deixou chateada... Mas nunca imagine o tamanho do desprezo dela por mim.

Essa pessoa constava como "amiga" no Facebook, que eu exclui no mesmo dia que eu me dei conta que o problema não está em mim, mas nela.

E fuçando na internet, um dos blogs que eu acompanho tinha um link para o texto reproduzido abaixo, retirado deste blog http://desconstruindo.com.br/10-pequenos-habitos-que-roubam-a-sua-felicidade/
Veio de encontro à minha tristeza, e achei muito interessante partilhar e aproveitar para refletir/desabafar (em colorido).

Você acabará por se tornar o que você faz repetidamente. Se os seus hábitos não estão te ajudando, eles estão te prejudicando. Aqui estão alguns exemplos de hábitos que vão roubar a sua felicidade, se você deixar:
1. Focar na história de todos, exceto na sua própria.
Não seja tão satisfeito com as histórias de sucesso de outros e como as coisas têm corrido bem para eles a ponto de você se esquecer de escrever a sua própria história. Escrever a sua própria história pode fazê-la se tornar realidade. Você tem tudo o que precisa para se tornar o que gostaria de se tornar. Mudanças incríveis acontecem quando você decide assumir o controle. Isso significa consumir menos e criar mais. Significa recusar-se a deixar que outros façam o seu pensamento, falar e decidir por você. Isso significa aprender a respeitar e usar suas próprias idéias e instintos para escrever a sua própria história.
Se você quer progredir na sua história de vida, você tem que limpar o caminho, reduzir o tempo de reclamações e encargos pesando para baixo, e pegar as coisas que lhe dão asas. Mantenha seus melhores desejos e seus maiores objetivos perto de seu coração e dedicar tempo a eles todos os dias. Se você realmente se importa com o que você faz e você trabalhar com afinco para ele, não há quase nada que você não pode realizar.

Não tem jeito: tem que se esforçar. Tem que sacrificar algo. Tem que decidir e ser firme no seu objetivo. Não tem como fugir.
Temos que ter cuidado em achar que para o outro é mais fácil. Cada um sabe da sua vida, do seu dia-a-dia.

2. Esperando o momento perfeito.
Não compre o mito do momento perfeito. Momentos não são perfeitos, eles são o que você faz deles. Assim, muitas pessoas esperam para que as estrelas se alinhem para fazer o que eles estão aqui para fazer. O momento perfeito, a oportunidade perfeita, o estado perfeito de ser, etc . Acorde! Estes estados de perfeição são mitos. Eles não existem.
Sua capacidade de crescer para o seu maior potencial está diretamente relacionada à sua vontade de agir em face das imperfeições do mundo. Se você quer ter sucesso, não espere o momento perfeito, mas aprenda a viver e lidar com as imperfeições da vida.

Não existe momento perfeito, existe o agora.

3. Trabalhar apenas por um salário.
Trabalho sem interesse é como estar na prisão. Mesmo se você não é super-apaixonado por seu trabalho, você tem que pelo menos estar interessado nele. Quando você cria um estilo de vida em que o trabalho é algo que nos sujeitamos diariamente apenas para pagar suas contas, você acaba gastando toda a sua vida desejando ser outra pessoa, estar em outro lugar.
Pense sobre isso. Esta é a sua vida, o seu trabalho vai preencher uma grande porcentagem dela. Não é tudo sobre o dinheiro, é sobre você. Ignore a propaganda, especialmente de pessoas que dizem: “Não deixe que o seu trabalho defina você.” Reveja esta mensagem e medite sobre ela: “Eu vou fazer o trabalho que me define.” Quando a essência de quem você é define pelo menos uma parte do trabalho que você faz para ganhar a vida, que o trabalho gera realização.

Eu gosto muito do que faço, gosto de trabalhar na empresa, gosto de ser parte. E gosto mais ainda de saber que eu me esforcei muito para chegar onde estou.

4. Abrigando sentimentos de ódio.
Como Martin Luther King Jr. tão profundamente, disse: “A escuridão não pode expulsar a escuridão, só a luz pode fazer isso. O ódio não pode expulsar o ódio, só o amor pode fazer isso.” Verdade seja dita, quando nutrimos sentimentos de ódio, eles eventualmente recebem o melhor de nós. Eles assumem o nosso controle. Esquecemos o motivo de odiar, o que odiamos, e quem odiamos – nós simplesmente odiamos por odiar. E depois, naturalmente, começamos a nos odiar também.
Tudo e todos que você odeia alugam espaço permanente em sua cabeça e coração. Então, se você quer eliminar algo ou alguém de sua mente, não odeie. Em vez disso, desconecte-se, siga em frente e não olhe para trás.

E isso não quer dizer que vc é ruim, mas que vc tem amor-próprio, que vc se ama. Quando a gente se ama, a gente consegue viver sem as pessoas que nos tratam mal, a gente consegue ignorá-las, se isso for o necessário para levar o dia-a-dia. 

Estou aprendendo a dar menos importância para quando as pessoas não são legais quanto eu pensei que fossem. E isso, não é não deixar de ficar chateada, ou não ficar com raiva, mas apenas não deixar que isso me consuma. Pois a raiva e até o ódio muitas vezes me consumiu, acabou com meu corpo e com a minha rotina. 

Agora, finalmente, não sinto mais raiva nem ódio. Mas ficou aquele gosto amargo, aquela mágoa... E toda vez que um pensamento ruim me vem, eu rezo uma Ave Maria. E estes pensamentos estão indo embora. 
Infelizmente, é um processo longo, mas é muito melhor viver sem rancor. É mais leve.

5. Segurando firme as preocupações e medos.
Algum dia, quando você olhar para trás sobre sua vida, você vai perceber que quase nunca todos os seus medos, ansiedades e preocupações chegaram a acontecer – eles foram completamente infundado. Então, por que não acordar e perceber isso agora. Quando você olhar para trás ao longo dos últimos anos, quantas oportunidades de alegria que você destruiu com preocupação desnecessária e negatividade? Embora não há nada que você possa fazer sobre essas alegrias perdidas, há muito que possa fazer sobre os que ainda estão por vir.
Você vai descobrir que é necessário deixar para trás algumas coisas simplesmente pela razão de que eles são pesam ​​em seu coração e alma. Deixe-os ir. É incrivelmente fácil de desfrutar mais da sua vida agora, não importa qual seja a situação.
Deixe de lado suas preocupações e medos, sua raiva e ciúme. Deixe ir a sua pretensão e sua necessidade de ter tudo à sua maneira. Debaixo de todas essas camadas de absurdo existe uma pessoa feliz e produtiva. Quando você começar a descascar suas preocupações e simplesmente apreciar tudo pelo que simplesmente é, a vida pode ser maravilhosamente gratificante.

E nas poucas vezes que consigo esta façanha, realmente é gratificante. Vc vive mais, planeja mais, sonha mais... 

6. Dificuldades diárias.
Um dia ruim é apenas um dia ruim. Tempos de adversidade, inevitavelmente, afetam as condições em que vivemos e trabalhamos, ainda que você não tem que deixar isso afetar quem você é e onde você está indo. Tome nota dos contratempos se ajuste a eles, mas não expanda-os, tornando-os uma parte maior de sua vida.
Cada dia traz novas lições e novas possibilidades. Há sempre uma maneira de dar o próximo passo em frente no caminho que você escolheu. Os eventos podem ser terrível e inevitável às vezes, mas você sempre tem escolha – se não quando, então, como, você pode suportar e seguir em frente.

E elas sempre trazem uma lição. Mas na hora doem muito. No meu caso, doem pois eu tenho a auto-estima quase inexistente. Para ter toda essa força de enfrentar os desafios é muito importante se amar. 
Eu já dei o primeiro passo. E agora, bora caminhar!

7. Constantemente buscando satisfação passageira.
Existem duas variações de contentamento na vida – fugazes e duradouros. O tipo passageiro é derivado de instantes de conforto material, enquanto o tipo duradouro é alcançado através do crescimento gradual de sua mente. Numa visão poderá ser difícil para decifrar um do outro, mas, como o tempo rola sobre ele se torna nitidamente evidente que o último é muito superior.
Contentamento duradouro se sustenta por altos e baixos da vida, porque através deles o seu espírito mantém-se confiante e em paz. Por outro lado, quando as alterações passageiras da vida têm a capacidade de perturbar sua mente em um frenesi, até mesmo os confortos físicos mais elaborados não vão fazer você mais feliz por muito tempo.
8. Tentando fazer uma grande diferença de uma só vez.
Se você quiser fazer uma diferença no mundo, comece com o mundo ao seu redor. Fazendo uma grande diferença de uma só vez é geralmente impossível, e o processo de tentar é extremamente estressante. No entanto, de imediato, fazer a diferença em algumas vidas é perfeitamente possível e, geralmente, bastante fácil. Você só tem que se concentrar em uma pessoa de cada vez e começar com a mais próxima de você.
Trabalhar para fazer um monte de pequenos salpicos, e deixar que as ondas se espalhem naturalmente. Se você quer mudar a mente ou o humor de uma pessoa, às vezes você tem que mudar as mentes ou humores das pessoas ao redor dele em primeiro lugar. Por exemplo, se você fizer uma pessoa sorrir, o seu sorriso só poderá fazer os outros sorrir também. Desta forma sutil, você pode tocar as massas com a sua reflexão, sem forçar-se.

Abraçar o mundo de uma vez só é loucura. E estou aprendendo a dar um passo de cada vez, no meu ritmo. Mudar na minha velocidade.

9. Apego a pessoas que te machucam.
Às vezes você tem que andar longe das pessoas, não porque você não se importa, mas porque não tem o que fazer. Quando alguém te machuca e outra vez, aceite o fato de que eles não se importam com você. É uma pílula difícil de engolir, mas é remédio necessário. Não se esforçar para impressioná-los ainda mais. Não desperdice mais um segundo de seu tempo tentando provar alguma coisa para eles. Nada precisa ser provado. Não aja com qualquer pensamento deles nunca mais.

Esse foi o golpe mais duro de enxergar nos últimos anos: nem todo mundo gosta de mim. Ou me aceita como sou.
Mas eu não preciso disso, pois o que importa realmente são as pessoas que genuinamente querem o meu bem. O que importa é eu gostar de mim, me aceitar, cuidar de mim.
E como uma sábia amiga do trampo me disse: a pessoa que virou a cara para vc é fundamental para sua vida? É alguém importante que pode influenciar seu futuro? Se a resposta for não, não se importe tanto. Cuide de vc e ame que ama vc. 

10.Exagerar a importância da aparência física.
Envolver-se com alguém simplesmente pelo que eles se parecem por fora é como escolher sua comida favorita com base na cor, em vez de gosto. Não faz sentido. São as qualidades inatas, invisíveis, não quantificáveis ​que criam atração duradoura.

Bom, eu sempre procurei nunca me guiar pela a aparência, mas muitas vezes fui surpreendida pelo pré-julgamento que eu fazia das pessoas, por conta do que outras pessoas me diziam a respeito delas. E graças a Deus, foi uma lição que eu nunca vou esquecer e um erro que faço de tudo para não repetir.



Nenhum comentário: